Páginas

26 setembro, 2014

Chegamos em casa e desempacoto as compras.
Tiro nossa roupa grossa. O frio impera lá fora, mas não aqui dentro.
Você peladinha corre por tudo e eu, em meio ao nosso caos, tento provar o vestido que comprei em um brechó japonês por dois euros - sem provar.  Você dormia em mim.
Leio rápido o e-mail que seu pai me escreveu ontem. 
O vestido serviu. 
E nesse meio segundo nosso pimentão orgânico vai parar dentro da patente.
Eu rio, você também.
Eu nao te digo que lugar de comida não é no vaso sanitário.
Eu não quero te ensinar o certo e errado.
Eu sento e de longe escuto os seus pézinhos dançando no xixi.
Merda, esqueci de por a fralda.
Vou ao quarto e no caminho me olho no espelho.
Engraçado pensar que só um ano passou e maternidade ainda é a coisa mais improtante da minha vida.
Vai ser pra sempre assim?

algumas semanas antes da Norah nascer. 


Você já vai fazer um ano no mundo de cá!

Um comentário :

cami disse...

só sei que queria estar tão presente nessas rotinas com vocês